Workshop de Introdução à Alimentação Viva

Workshop de Introdução à Alimentação Viva

programa fim de semana alternativo

O Amo Comida  Viva irá participar na iniciativa “Fim de Semana Alternativo” promovida pela Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo.

Este evento tem como tema a alimentação alternativa e iremos participar com um Workshop intitulado “Introdução à Alimentação Viva” no Domingo dia 22 de Maio às 11h30, a acontecer no Museu Municipal de Ferreira do Alentejo.

O Workshop é de entrada livre mas requer inscrição no próprio dia na loja do museu.

 

Bolo Vivo de Aniversário

Bolo Vivo de Aniversário

bolo vivo aniversario

 

A Laura Miller tem um programa no YouTube chamado “Raw Vegan Not Gross” que sigo há vários anos. Ela é super bem disposta e cria receitas que me cativam pela sua simplicidade e beleza. Depois de ver este episódio, inspirei-me para criar um bolo vivo para o aniversário do meu filho. :)

Bolo Vivo de Aniversário

Ingredientes 

base de chocolate:
(parte liquida)
2 chávenas de chá de caju (castanha) cru, demolhado em água (pelo menos 4 horas – descartar a água no final)
1 chávena de chá de leite de amêndoa caseiro (receita aqui)
1 chávena de chá de xarope de ácer
1 colher de café de extrato de baunilha em pó

(parte seca)
1 1/2 chávenas de cacau cru em pó (usei o da marca Iswari)
3 chávenas de farinha de amêndoas (pulverizei no robot de cozinha amêndoas com pele cruas sem sal)
1 pitada de sal marinho

recheio:
2 chávenas de chá de caju (castanha) cru, demolhado em água (pelo menos 4 horas – descartar a água no final)
1 lata de leite de côco (400ml) – colocar previamente no frigorifico (pelo menos 8h).
1 chávena de chá de framboesas (usei congeladas)
1 colher de café de extrato de baunilha em pó
1 pitada de sal marinho
1 chávena de chá de xarope de ácer
¼ de chávena de água
***MISTURAR ISTO TUDO PRIMEIRO NA LIQUIDIFICADORA*** e depois acrescentar:
1  1/2 chávenas de chá de óleo de coco derretido

***Nota: se usar framboesas congeladas, espere um pouco até a primeira mistura voltar a estar à temperatura ambiente. Se não, quando adicionar o óleo de coco derretido, o choque térmico vai fazer com que o creme crie grumos e deixa de ser possível ter um creme homogéneo.

calda:
1 chávena de chá de vários frutos silvestres (mirtilos, groselhas, amoras)
2 colheres de sopa de xarope de ácer

apresentação:
vários frutos silvestres (mirtilos, groselhas, amoras) e morangos

Nota1: as medidas da receita são em chávenas (cup), medida muito usada nos estados unidos e que é bastante prática pois evita que se ande sempre com a balança atrás. Hoje em dia existem à venda em qualquer loja de artigos para a casa umas chávenas medidoras com as várias medidas 1/2, 1/3, 1/4

Nota2: como adoçante natural, usei xarope de ácer que não sendo um adoçante vivo/cru é dos mais utilizados na cozinha viva. O seu valor nutritivo é muito significativo contendo 54 antioxidantes e nutrientes como manganês e zinco.

—————-***————

Como fazer a base de chocolate:
Colocar os ingredientes da parte liquida no liquidificador e misturar.
Colocar os ingredientes da parte seca a uma taça e misturar bem.
Juntar os ingredientes líquidos aos secos e misturar bem.
Transferir a mistura para um tabuleiro do desidratador forrada com pelicula anti aderente, e com uma espátula esticar a mistura até ter 1cm de espessura.
Desidratar por 5 horas a 42 graus.

Nota: se não tiver um desidratador pode usar o seu forno e coloca-lo na temperatura mais baixa possível. O tempo de “cozimento” será menor.

Como fazer o recheio:
Retirar a lata do leite de coco do frigorífico, abrir e retirar apenas a parte solidificada, mais espessa (descartar o liquido que pode ser usado num batido, sumo, etc). Colocar todos os ingredientes no liquidificador excepto o óleo de coco derretido. Depois de ter um creme homogêneo, acrescenta-lo com a máquina a trabalhar em modo lento. Colocar o recheio numa taça de vidro e ir ao frigorifico por 4 horas.

Como fazer a calda:
Colocar a mistura de frutos silvestres e o xarope de ácer num liquidificador e misturar até obter uma consistência homogênea.

——————–***———————

Montar o bolo:
Usar formas redondas de vários tamanhos para cortar 5 círculos da base de chocolate (usei 2 de 16cm, 2 de 8cm e 1 de 3 cm)
Colocar um dos círculos da base tamanho maior num prato de servir e colocar o recheio por cima.
Repetir o processo com os restantes círculos e o recheio.
Ir ao frigorífico por uma hora para enrijar.

Antes de servir, decorar com morangos e frutos silvestres e derramar a calda por cima.

 

bolo vivo aniversario 2


Tarte Viva de coco e framboesas

Tarte Viva de coco e framboesas

IMG_1523

 

Uma das razões que me faz gostar tanto da alimentação viva é o facto de se puder preparar uma sobremesa deliciosa e que enche os olhos em poucos minutos.

A ideia desta tarte surgiu depois de saber que iria visitar uns amigos e perceber que não tinha nada feito para levar.
Ninguém acreditou quando disse que esta receita precisou apenas 15 minutos para ficar pronta. :)

O único ingrediente que necessita de ser preparado com antecedência é a lata do leite de côco, que precisa de estar no frigorífico por algumas horas. Mas nada como passar a ter sempre umas latinhas no seu frigorífico – fazem milagres! :)

Tarte Viva de Côco e Framboesas

Ingredientes (serve 4 pessoas)

base:
1 chávena (+-120g) de caju cru sem sal
1/2 chávena (80g) de figos secos (sem farinha e não torrados)

recheio:
1 lata de leite de côco (400ml) – colocar previamente no frigorifico por pelo menos 8h
2 colheres de sopa de adoçante natural (xarope de ácer ou ágave ou mel – não vegans)
2 colheres de sopa de óleo de côco (derretido em banho maria, para ficar em estado liquido)
50g de framboesas frescas

topping:
50g de framboesas frescas
côco ralado a gosto

Colocar os ingredientes da base num robot de cozinha ou picadora e ficar até ficar na consistência de uma massa.

Colocar a massa numa tarteira (de preferência com base amovível e de 15cm) e calcar bem com os dedos até estar toda forrada inclusive os lados. Colocar no congelador enquanto prepara o resto da tarte.

Retirar a lata do leite de côco do frigorifico. Abrir com cuidado (vai reparar que o leite de coco se separou ficando o liquido da parte de baixo e o creme da parte de cima da lata. Retire apenas o creme (pode usar o liquido em batidos por exemplo). Use uma batedeira de varas e bata o creme. Acrescente o adoçante natural, o óleo de coco e as framboesas. Bata 4 a 5 minutos até montar formar um creme homogêneo. (Dura 3 a 4 dias no frigorífico guardado em frasco de vidro).

Retirar a base do congelador e acrescentar o recheio. Decorar com framboesas e côco ralado e servir. Se servir mais tarde, reserve no frigorífico.

 

tarte framboesa comida viva

Workshop Comida Viva – Receitas 100% Crudívoras

Workshop Comida Viva – Receitas 100% Crudívoras

workshop-comida-viva

Este é um convite irrecusável da minha amiga e mulher dos mil talentos Isabel, em ir à sua cozinha, espaço onde todas as semanas cria e oferece comida divinal, de combinarmos a nossa alquimia num ambiente que se espera descontraído, alegre e inspirador ao redor de ingredientes naturais e que apelam aos vários sentidos.

Neste workshop vamos entrar totalmente no mundo da Alimentação Viva e natural e deixar que a comida fale por si.  :)

Até lá!

Inscrições através do email comme.comida@gmail.com / 911190777

Qual a percentagem de crus/raw food para mim?

Qual a percentagem de crus/raw food para mim?

EAT RAW

Esta é uma pergunta que muitas vezes me fazem para a qual considero não existir uma resposta única. Na minha experiência a quantidade de alimentos crus na alimentação diária vai sendo ajustada de acordo com vários factores que vão desde, a fase da vida, as estações, ter ou não uma vida activa regular, etc.

Aconselho principalmente a ouvir o corpo e sentir qual a quantidade que melhor se adequa no momento presente. Seja flexível e acima de tudo, tenha prazer e desfrute do momento em que prepara o seu alimento e depois quando o come.

Comer 100% cru

Comer 100% cru, não é certamente para todos, mas não há dúvida de que funciona para algumas pessoas, pelo menos por algum tempo.

Uma alimentação 100% crua pode ser usada para um processo de cura, num momento de desintoxicação ou por exemplo, para perder peso.

Existem algumas coisas a ter em mente quando decidir comer 100% cru:

  • Certifique-se de monitorizar as suas calorias para garantir que está a comer o suficiente;
  • Não negligencie alguns suplementos vitamínicos necessários que todos os vegan e crudívoros necessitam, tais como a vitamina B12;
  • Consuma pelo menos um 1kg de verduras cruas por dia, se não mais. Tente fazer batidos e sumos verdes e outras receitas combinadas para tornar mais fácil consumir esses legumes verdes;
  • Preste atenção especial à saúde dentária, e faça um check-up regularmente, para garantir que nenhum problema aparece.

Comer 75% cru

Uma boa alternativa pode ser uma alimentação crua a 75% ou 80%. Esta é uma alimentação onde essencialmente vai comer a maioria da comida crua, mas inclui também diariamente algo de cozinhado.

A chave da alimentação crua 75% é não cair na armadilha de fazer uma alimentação 100% crua com uma ocasional refeição cozinhada. O seu sistema digestivo irá adaptar-se aos alimentos que comer numa base regular. Deve escolher ou comer alimentos cozidos regularmente, ou deixá-los fora. Então, se optar por comer 75% cru, o ideal será comer alguns alimentos cozinhados todos os dias, ou 4-5 vezes por semana.

A este nível, os melhores alimentos cozinhados serão:

  • Batata doce, e outros vegetais de raiz.
  • Leguminosas (feijão, lentilhas, grão, etc.)
  • Legumes cozidos de todos os tipos (alcachofras, espargos, couve, etc.)
  • Cereais sem gluten (quinoa, millet, etc)

Será melhor escolher alimentos cozinhados que irão complementar o seu perfil nutricional global, ao invés de cair na armadilha de comer grandes quantidades de carboidratos (pão branco, pasta, etc.) para preencher o vazio calórico. Certifique-se de que obtém calorias de ambos os alimentos crus e cozinhados.

Este nível de alimentação crua é um bom alvo para a maioria das pessoas. Se tiver problemas para manter o seu peso ou se tiver uma quantidade significativa de peso a perder, escolher ingerir uma alta percentagem de alimentos crus faz sentido. Uma excepção seria para pessoas com digestão muito sensível que não podem lidar com uma grande quantidade de fibra bruta, bem como aqueles que acham que a sua energia cai significativamente quando comem uma dieta rica em crus.

Comer crus 50%

Aqui irá incorporar elementos do estilo de vida da alimentação crua (batidos e sumos verdes, grandes saladas cruas, saladas mistas, refeições de frutas, etc) numa alimentação que inclui alimentos crus e cozinhados. O seu objectivo não é chegar a uma percentagem particular. O seu objectivo é apenas ser saudável.

Não comer alimentos crus

Finalmente, algumas pessoas vão achar que é melhor e mais saudável ficar completamente fora do conceito de comer uma dieta rica em crus. Neste caso, não fazem uma alimentação crua. A maioria dos alimentos que comem são cozinhados, mas diariamente irão comer algumas peças de fruta e uma salada com a refeição.

Este nível será aconselhável para pessoas severamente abaixo do seu peso ideal e com problemas digestivos. Estas pessoas não devem tentar uma alimentação à base de alimentos crus. A maioria dos alimentos que comem deve ser rica em calorias.

Algumas pessoas simplesmente não têm tempo ou vontade de comer uma grande quantidade de alimentos crus. Ou talvez tentaram e não funcionou.

***

Porque os alimentos cozinhados podem ser muito convenientes, pode ser fácil cair na tentação de comer muitos alimentos cozinhados e já preparados e deixar os bons hábitos como o consumo de saladas, frutas, sumos e batidos verdes, cair no esquecimento.

A chave para evitar isto é manter os bons hábitos incorporados no seu dia a dia. E pode fazer isso, fazendo um esforço , por exemplo em comer os alimentos crus em primeiro lugar. Prepare a salada em primeiro lugar ou enquanto está no tempo de espera do seu prato cozinhado e depois coma-a primeiro.

 Um almoço/jantar  cru ou não?

A maneira mais fácil de comer mais alimentos crus e chegar mais perto da marca dos 70% (se esse for o seu objectivo) é consumir um almoço ou jantar de crus, além do pequeno-almoço.

O pequeno-almoço é fácil, e pode ser um batido verde, por exemplo. Mas certifique-se que não comete o erro de só ter uma grande salada sem carboidratos cozinhados ou proteína para o almoço ou jantar. Tal salada (composta de vegetais crus e fontes de gorduras) não é muito para sustentar a maioria das pessoas, excepto aqueles com necessidades calóricas extremamente baixas. Neste caso, consuma frutas, (por si só ou em batidos verdes) com a sua refeição, se decidir fazê-la apenas crua.

 O Batido Verde diário

De longe o hábito alimentar cru mais fácil que oferece os resultados mais positivos para a maioria das pessoas. Um batido verde é simplesmente uma bebida feita na liquidificadora com um líquido (geralmente água, mas também pode usar leite de sementes, água de coco, chás, etc), fruta e uma boa quantidade de vegetais de folha verde (espinafre, alface escura, acelgas, couve, etc).

Muitas pessoas descrevem benefícios surpreendentes apenas adoptando este hábito! Batidos verdes podem ser um pequeno-almoço ideal, mas também uma refeição ou um snack entre as refeições!

Comer muita fruta

A fruta é extremamente saudável, e ainda assim é comumente criticada nos círculos de alimentação saudável, ou recomendada apenas em “estrita moderação.”

A frutose na fruta é frequentemente acusada e inclusive equiparada à da frutose refinada que é excessivamente abundante na alimentação dos dias de hoje e na raiz de muitos problemas de saúde. A fruta é inerentemente saudável por causa da fibra que contém, mas também porque não contém apenas um tipo de açúcar, mas muitos.

Alguns açúcares são absorvidos imediatamente (como glucose), alguns são absorvidos mais lentamente (como frutose), e os outros são ligados com a fibra e digeridos no intestino delgado.

Devido a isto, a fruta é mais baixa no índice glicêmico do que a maioria dos grãos, e uma fonte extremamente boa de energia sustentada. No entanto, se comer uma grande quantidade de frutas, vai consumir uma grande quantidade de açúcar natural. Este não é um problema se se encontra de boa saúde e pode processar açúcares de forma eficiente, como resultado de bons hábitos de vida.

Se comer mais frutas, tem que reduzir a quantidade de amido cozinhado na sua dieta. Caso contrário, grandes quantidades de fruta em combinação com grandes quantidades de amido irá trazer um extra de calorias e ganho de peso.

Além disso, uma vez que dietas de baixa gordura aumentam a sensibilidade à insulina e a capacidade de processar o açúcar de forma eficiente, quanto maior a quantidade de fruta que consumir, menor terá que ser a percentagem de gordura na sua dieta. A maioria das pessoas que comem quantidades normais de fruta (algumas peças por dia) e o resto de suas calorias de amido, proteína e gordura podem consumir até 30% de gordura na sua dieta sem ver muitos problemas na assimilação de açúcar. Mas, ao consumir mais frutas, o percentual de gordura na sua dieta terá que ser menor.

É por isso que as pessoas que vivem quase exclusivamente de frutas tem que evitar quase todas as gorduras, caso contrário a combinação de uma dieta rica em açúcar com uma dieta rica em gorduras pode levar a graves problemas relacionados com a insulina. Em geral, um consumo de gordura de cerca de 15% combinado com um consumo acima da média de fruta está bastante bem. Combinado com atividade física e uma boa dieta, não deve ter nenhum problema a lidar com o açúcar extra na fruta. Como já foi mencionado, este açúcar não pode ser equiparado ao açúcar refinado de forma alguma.

Algumas pessoas vão achar que é melhor parar temporariamente, reduzir drasticamente ou mesmo eliminar a fruta da sua dieta. Algumas pessoas que tiveram a experiência de ter sofrido caries dentárias numa alimentação à base de frutas e vegans que sentiram a sua digestão enfraquecida por meio de uma dieta excessivamente restrita, combinada com um consumo excessivo de frutas ácidas (como laranja e abacaxi) poderá ser aconselhável dar ao seu corpo uma pausa de frutas por algumas semanas ou até de alguns meses. Todas as vitaminas contidas nas frutas podem ser encontradas em legumes crus, pelo que não há perigo na remoção temporária da fruta na sua dieta.

Uma salada grande diária ou uma  salada na liquidificadora?

Comer uma grande salada diariamente é um fantástico hábito cru a adoptar. Mas muitas pessoas não o fazem por causa do tempo que leva para mastigar!

Uma salada na liquidificadora é tão boa como uma grande salada, leva menos tempo a preparar e pode ser uma solução para as pessoas que não conseguem gerir ter que cortar os ingredientes e mastigar uma grande salada.

Uma salada na liquidificadora pode incluir os seguintes ingredientes:

  • Tomates, pepinos, pimentos vermelhos e outros vegetais “tenros” e de sabor suave;
  • Verdes de sua escolha (geralmente alface, espinafre, acelgas, etc.);
  • Germinados (alfafa, lentilhas, grão, etc.);
  • Algo para dar sabor (ervas frescas, alho, cebola, etc.);
  • Algo doce (como manga, ou um adoçante como mel, ágave, etc.)

É possível substituir o elemento “doce” de uma salada na liquidificadora por uma gordura saudável, como a metade de um abacate. Vai permitir também criar um textura cremosa, como uma sopa.

Após a mistura feita pode adicionar legumes picados, germinados ou sementes por cima para torná-la mais interessante.

Este artigo foi inspirado e adaptado de http://renegadehealth.com/blog/2015/04/23/what-percentage-raw-is-right-for-you

 

Evento “Inspire Saúde” 9 e 10 de Maio, Lisboa (CCB)

Evento “Inspire Saúde” 9 e 10 de Maio, Lisboa (CCB)

O Amo Comida Viva vai estar presente no evento “Inspire Saúde” a acontecer no CCB, com o Workshop “Comida Viva – dicas para uma vida saudável e vibrante”. Será no dia 10 de Maio, pelas 10h30 na sala Cottinelli Telmo. Até lá!

Cartaz Inspire Saude

Cupcakes Natalícios!

Cupcakes Natalícios!

cupcakes comida viva

Cupcakes Natalícios!
(cenoura com creme de amêndoas)

Ingredientes
(serve 10 cupcakes)

Para a base:
1 1/2 de cenoura ralada
1 chávena de nozes
1 chávena de tâmaras (demolhadas em água pelo menos 30m.)
2 c. de sopa de coco ralado
1/2 chávena de sultanas orange
uma pitada de canela, gengibre em pó e noz moscada

Para o recheio:
1 chávena de amêndoas cruas (demolhar as amêndoas em água +- por 8 horas. De seguida descartar a água e retirar a casca. Esta irá sair facilmente mas se quiser uma ajudinha adicione água morna)
1/2 chávena de água
3 c. de sopa de adoçante natural (mel, xarope de agave, xarope de ácer, açúcar de coco, etc)
2 c. de sopa de óleo de coco (se tiver solidificado, colocar em banho maria para voltar ao estado liquido).
1 pitada de extracto ou pó de baunilha (opcional)

Misture todos os ingredientes da base num robot de cozinha até obter uma massa uniforme. Forre o interior das formas de cupcakes com a massa. Coloque no congelador enquanto faz o recheio.
Coloque todos os ingredientes do recheio (excepto o óleo de coco) no liquidificador e bata bem. Depois adicione o óleo de coco e bata até obter uma textura cremosa uniforme.
Coloque o creme por cima da base.
Decorar com coco ralado.
Servir imediatamente ou colocar no congelador e retirar 10 minutos antes de servir.